16.7.12

Reintegração


(imagem retirada daqui: http://davidmyatt.files.wordpress.com/2010/02/stars.jpg)



Falar do amor na sua fase reintegrativa é falar do seu mapa geral, é falar da sua dimensão numinosa, na sua dimensão de super-consciência, de estar aqui e agora em toda a dimensão intuitiva e verdadeira. É saber aceitar que existem dois pólos e que ambos fazem parte da mesma dança viva, da mesma realidade, que não existe contradição entre o claro e o escuro, entre a sombra e a claridade, entre o homem e a mulher.

Quando se vive nessa dimensão numinosa (ou de Presença total), o amor torna-se uma força poderosíssima porque imune a todos os condicionalismos, mas aberto e flexível a tudo o que venha a acontecer.

Se, por um lado, o reino do Encantamento ainda se faz presente é-o na sua dimensão de encantamento de vida, não um encantamento fugaz, de estar aqui, mas em pouco tempo fugir de nossas mãos como se nunca a tivéssemos sentido.

Se, por outro lado, o Desencanto aparece é porque a nossa realidade corporal assim o exige: somos humanos e a nossa experiência humana pede que sejamos sempre cada vez nós mesmos; pede que nos consciencializemos da dor do outro e a façamos nossa, numa dança de empatia e solidariedade humana. Sem esse desencanto pelo humano não se conseguir realizar a 100%, a sociedade humano nunca se modificaria porque tudo estaria perfeito e nunca haveria nada porque lutar.

Nesta fase, o Reino da Esperança faz-se também muito potente. Somos os construtores de um mundo novo, vivo, orgânico, orgásmico, dançarino, feliz. Somos os fazedores de uma Vida que quer Ser ainda mais e quer amar ainda mais, sem condicionalismos e sempre com verdade.

E o Questionamento surge também: o que posso mudar, que mudanças posso trazer para o mundo? Que Vida poderei dar para poder ter mais consciência deste poder imenso que é o amor? Deste imenso poder que é dançar a Criação de forma continuada e vivencial. Criamos sempre, criamos e refundimos, criamos e consciencializamos, criamos e vivenciamos o nosso amor de uma forma reintegrada e com todas as suas dimensões de existência em pulsão.

É assim a dança da vida, é assim a dança absoluta do nosso Ser total, do nosso Corpo total, do nosso Amor em expansão.

Que sejamos sempre tudo isso. E ainda mais.

Jorge Vicente

Este post pertence à 5ª  e última fase, BC Amor aos Pedaços. Mais informações no blog da Rute, da Rô ou da Luma.)

12 comentários:

RUTE disse...

Vou levar o link para a lista.
E como não resisti a ler, vou já comentar :)

Estamos em sintonia meu amigo, em direcção a essa reunificação da nossa personalidade com a alma, e dessa com o espirito que nos criou. Quem quer se reencontrar com a fonte numinosa deve começar pelo seu interior, harmonizando pólos.
Obrigada por estares connosco durante estes 5 meses.
Beijinhos.
Rute

jorge vicente disse...

Quem tem de agradecer sou eu, minha amiga :)

Aproveito para informar que não sei se vou conseguir publicar no próximo dia 7.

Vou de viagem para a França, Alemanha, Bélgica e Inglaterra e não sei se terei contacto com a net :)

Milhares de beijos!!!!
Jorge

Isabel de Matos disse...

Eu gosto da leveza da dança, da dança absoluta do nosso Ser total, do nosso Corpo total. É fluir, é a suavidade e ao mesmo tempo a intensidade, o sabor da Vida, do Amor.
Um grande abraço e uma bela viagem!
Isabel

jorge vicente disse...

Muito obrigado, cara Isabel.

Muitos e muitos beijinhos para si!

Boas danças!
Jorge Vicente

Luma Rosa disse...

Alcançar a plenitude no amor e sentir sua maravilhosa essência, realiza no homem as mais importantes mudanças. Interessante, mas muitos não pensam, que viver a plenitude de um amor, rega nossa vontade de viver e o nosso interior por tantas vezes esquecido. Podemos frequentar uma academia para esculpir o corpo, mas e para esculpir a alma?
Jorge, obrigada por esses meses de convivência discutindo as fases do amor e, pelo que sei, vem surpresas por aí!
Boa viagem!! Beijus,

jorge vicente disse...

E é mesmo possível essa plenitude no amor, por mais que as pessoas não queiram acreditar! :D

Amor a alguém
Amor à Vida
Amor a uma causa
Amor à Humanidade

Também gostei destes meses de convivência e volte sempre que quiser!

Muitos beijos
Jorge

Zilda Santiago disse...

Muito preciso nas colocações bem verdadeiras!!!Bjs na alma e boa viagem...

jorge vicente disse...

Obrigado, cara Zilda!!!!

Muitos abraços e beijinhos para si!
Jorge

tecas disse...

Assim seja, meu querido poeta de eleição! Amor é a palavra mágica para mudar a humanidade. Amor, sempre amor e o mundo seria bem melhor. Sublime este texto.
Beijinho e uma flor.

jorge vicente disse...

Um beijinho para ti, minha querida poeta de Elite!!!

Jorge

Morgan Nascimento disse...

Olá, parabéns pelo seu blog!
Se você puder visite esse blog:
http://morgannascimento.blogspot.com.br/
Obrigado pela atenção

jorge vicente disse...

Olá, Morgan! Pois é claro que eu vou visitar!

Até já!

Um grande abraço
Jorge