26.10.14

Cadernos de Gethsemani

3.


tenho, perante mim, uma grande escolha:
ser humano,
o produto de uma linhagem específica
- animal bípede, ser pensante, com um
sentido de existência muito próprio,
construtor, criador, filósofo nas horas vagas
e com um sentido estético para a poesia

tenho, perante mim, essa escolha:
ser humano e ser presa de um destino
de pequenos nadas

não posso mudar o que se passa em gaza
nem fazer prognósticos para o meu próprio
futuro
não posso escrever "um verso a mais foi escrito
e tudo o que já foi dito antes será repetido mais
uma vez no meu próprio caderno"

tenho essa escolha
que é um cavalo que passa devagar
e que me desabriga de mim mesmo

[uma ferida aberta com todas as possibilidades
de tempo

e com pequenos nadas no lugar
das palavras].


Jorge Vicente

6 comentários:

Graça Pires disse...

"tenho, perante mim, essa escolha:
ser humano e ser presa de um destino
de pequenos nadas". belo poema, amigo.
Abraço.

lis disse...

Muito bonito o poema seus 'cadernos...'
Segui o link da poeta Graça Pires e gostei muito.
'pequenos nadas' que nos tornam grandes.
abraço

jorge vicente disse...

É um dos meus poemas favoritos, amiga!

Obrigado!!!

Beijinhos!

jorge vicente disse...

Muito obrigado, Lis, muito, muito grato!

Mil abraços cheios de Poesia!
Jorge Vicente

Alexandra Vieira de Almeida disse...

Parabéns, Jorge Vicente. Seu poema tem muita riqueza poética, é forte e intui profundamente a linguagem com seu lirismo encantador. Grande abraço, Alexandra.

jorge vicente disse...

Muito, muito obrigado, Alexandra!

Grande abraço
Jorge